Quem é Rosa

Minha foto
“A vida é a descoberta de quem somos." contato: rosicleidedavid@ymail.com

intervalos

Nos meus intervalos, eu passo por aqui...
Revelo a colheita do que plantei durante o dia,
Faço uma breve análise do que está em mim ou do que se passa ao meu redor,
Ou simplesmente deixo fragmentos de sonhos...

Os textos de minha autoria são protegidos pela lei n° 9.610 de 19-02-1998, lei dos direitos autorais.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

24 de dezembro de 2010

 
 
 
Carta de Natal


       Então se aproxima o Natal e os nossos corações se preenchem de sensações que se afloram especialmente nesta data. Deus dá mais uma abastecida de ternura em nossos espíritos pra que possamos prosseguir com a nossa caminhada, que durante o ano teve seus dias árduos. Alguns sentem nesta data um pouco mais de saudade daqueles que se sentavam à mesa para a ceia e que por motivos distintos já não estão aqui. Outros se enchem de esperança, ainda há tempo de receber o tal presente de Natal, que com o passar dos anos se materializa em desejos que pedem ardentemente aos nossos corações a sua realização, e esta data traz essa força que nos faz reafirmar que é possível.
        A beleza deste dia, como eu venho dito, é a forma como atinge a sensibilidade dos homens. E principalmente, a mensagem de um Deus Humano que passou por aqui e nos ensinou com os seus exemplos de vida o significado das palavras perdão, justiça, amizade, renovação, força, coragem, partilha, consciência, entre outras que deveriam compor o significado da palavra humanidade. É um legado que renova os nossos corações todos os anos nesta data especial.
        
        Que neste Natal, os nossos corações se renovem no amor de Deus, que tenhamos novas chances de viver de forma intensa o amor em todas as suas manifestações.
         Que Deus nos presenteie com o discernimento pra que possamos deixar na história de 2010 o que deve ficar, e levar pra 2011 o que deve continuar a escrever as nossas linhas.

          "Que DEUS, o intenso verbo SER, seja conjugado em cada respiração, em cada pensamento, em cada ato, em cada palavra de cada UM de nós, agora, em 2011, e para todo o sempre!!!"


  Abraços de Rose David

domingo, 12 de dezembro de 2010

12 de dezembro de 2010


 
O ponto final é sempre o ponto que usamos para dar início a primeira letra do parágrafo a seguir, 
"a vida sempre continua".

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

22 de novembro de 2010





... não somos como os gatos, que têm sete vidas...


Temos uma vida por dia...

Renascemos todos os dias quando acordamos, podendo construir e reconstruir, escrever de maneiras diferentes a nossa história, onde cada palavra é uma escolha.
Escolhemos se vamos acordar com um sorriso ou se vai ser o nosso dia de fúria.
Se vamos nos fechar no nosso mundinho ou vamos contribuir para a construção do mundo de outros.
...
E assim, como renascemos todos os dias, também morremos todas as noites quando fechamos os nossos olhos. Porque o dia que se passou não voltará mais, e mesmo que tentássemos reviver cada minuto da mesma maneira, não conseguiríamos reprisar. A vida que tivemos naquele dia, já foi vivida


Por isso, não gosto daquela frase que diz que devemos "viver a vida como se fosse o último dia". Nem dá pra dizer que é o primeiro, isso até parece uma contradição do que antes escrevi, cada dia ( cada vida) é uma continuidade, os problemas não desaparecerão, mas também poderemos continuar a desfrutar da felicidade cotidiana. No entanto, cada dia ( cada vida) vai ser único, e não vai ser possível vivê- lo de novo.


por Rose David 

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

15 de novembro de 2010

Sonhei com você...


O mundo estava acabando, e todos desesperados não sabiam por onde ir. Se agrupavam por religiões, e esses grupos perturbados, esqueciam suas orações. O chão desmoronava e tudo mais o que se construiu, o conhecimento diante dessa situação apenas trazia caos aos corações, que procuravam desesperadamente em um canto da memória as instruções de como deveriam agir.
O chão desmoronava, as pessoas corriam, mas pareciam voltar sempre para o mesmo lugar. Você passou por mim, e tive a sensação de que pudesse haver um lugar pra onde ir.
Nos sonhos não precisamos ao certo caminhar por um trajeto, então logo me encontrei em um lugar tranquilo. Diante de uma bela árvore, com outras pessoas que tranquilamente entregavam -se ao Amor do Pai. O chão não mais estremecia, as pessoas pareciam satisfeitas, como crianças que não precisam saber se comportar. Uma mão segurou a minha, era a tua mão. Ficamos ali, de mãos dadas, existindo.


Acordei, e minha mão ainda estava quente e aquela sensação de calor humano acompanhou- me durante o dia.




por Rose

sábado, 13 de novembro de 2010

13 de novembro de 2010

Talvez eu ainda seja uma menina, e por isso eu entenda tão pouco...

Talvez eu tenha sonhado demais e acreditado que tudo era simples, e que ficaríamos bem.
E essa tristeza nos meus olhos, essa procura por respostas...
Não deveríamos amar quem não vai ficar.
Um amor que dilata o meu coração quando te vejo sereno, que me faz transbordar alegria quando te vejo sorrir.
E que na distância é capaz de contrair o coração a ponto dele quase não resistir.



Eu daria a minha vida pra que você fosse feliz.
Quem sabe, eu me tornaria um anjo, e longe desses sentimentos humanos que tornam o amor tão sofrido, eu te olhasse apenas com aquela devoção.


Esses olhos tristes que te pedem silenciosamente pra ficar, a cada olhar também se despedem.



Rose

terça-feira, 7 de setembro de 2010

07 de setembro de 2010


Milagre

Olho para o céu e me encanto
As gotinhas que ficam cristalinas
Quando cada gota que toca o chão abaixa a poeira
As gotinhas caindo do céu estão refrescando o nosso dia.
A Rosa revigorando, retomando do gole da vida e ficando mais bela quando as gotas vindas do céu cobrem as suas pétalas.
Os sorrisos que se abrem, os botões desabrochando, em um agradecimento tênue...
O Pai está regando o seu jardim!

Rose David

terça-feira, 6 de julho de 2010

06 de julho de 2010


O Amor é um garoto esperto e sapeca, que vive aprontando em nossas vidas.

"Um garoto que amadurece com o passar dos anos, que por vezes apronta brincadeiras sem graça e machuca os nossos corações, entretanto é o único que carrega uma culpa inculpável. Machuca sem pretender, e em contrapartida é capaz de proporcionar uma alegria imensa apenas com gestos simples. Garoto esperto, conhece a Verdade e não a contraria. Garoto sapeca, pensa que tudo é brincadeira. Nas lágrimas não enxerga a dor, reconhece e admira o brilho cristalino das gotas d'alma, e o sorriso é sempre um ato despretencioso, marca da sua personalidade.
O Amor é um garoto, que a vida tenta criar e nessa tentativa aprende, aprende a amar (garotar)."


Rose David

terça-feira, 29 de junho de 2010

29 de junho de 2010

Porque há dias que acordo assim...

Com o peso de cem anos vividos em minhas costas.
E em outros, que acordo recém - nascida.
Porque há dias que o meu sofrimento parece ser o maior do mundo
E em outros, que percebo o quanto devo ser grata à vida.

Somos essa frequência que está a oscilar o tempo todo, ora em picos altos, ora na descida.
O que não percebemos é o quanto esta frequência influencia no ambiente em que estamos inseridos, não como simples contextos. Mas, como diria meu caro filósofo Canti, estamos inseridos como agentes do caos, o caos que faz a roda "viva, gira e impulsiona o ciclo da vida".
Desta frequência que são feitos os dias dos homens, do humor que se instabiliza e da combinação do Ambiente mEU e do Ambiente sEU.
A frequência está ativa e quando parar, a vida expira.

Rose David

terça-feira, 22 de junho de 2010

22 de junho de 2010

O que aconteceu com o amor?

Tornou-se a dor de perder o que nunca teve...
A saudade causada pela ausência do que nunca esteve presente...
O luto da esperança que se viu sem razões para existir.
O amor passou da respiração palpitada a uma respiração quase sem vida...
Tornou- se febre a noite inteira e um sorriso que apenas visita meus lábios sem muita vontade de fazer moradia.
O amor deixou-me as marcas que não eram minhas, por amor eu sofri de uma dor que não me pertencia.
... e a única lembrança que me deixou foi os olhos que se enchem de lágrimas por ter sentido em vão um sentimento que roubou-me de mim.



Rose

quarta-feira, 16 de junho de 2010

16 de junho de 2010

Formadores de opinião


Jovens! Somos formadores de opinião.
E por isso, tanto ataque a nossa força. Um ataque camuflado, eles usam do seu poder de convencimento para abater nosso poder de mudança. Procuram empurrar garganta a baixo todo consumismo, toda falsa propaganda e suas futilidades, para que a nossa voz se cale, para que não tenhamos tempo de observar, questionar e querer mudar a situação que privilegia a poucos, os poucos que querem nos cegar, e conseguem.
É nesta fase cheia de vigor, que eles tentam nos cansar. Nesta fase onde a sabedoria passa a transpor com mais evidência em nossos atos, eles tentam ocupar as nossas mentes e atar as nossas mãos. Nos mostram o cardápio dos desejos que podem ser realizados em apenas um clique, o caminho mais fácil; e aceitamos, passando a acreditar que só existem os desejos que estão listados no tal cardápio. Nossos passos são encurtados, nosso espaço é estreitado, aos poucos, convencidos de que não há nada o que mudar.
Jovens! Somos produtos que movimentam o mercado daqueles safados.

Abram os olhos, questionem, reflitem...
Demorem a decidir, mas tenham uma decisão que seja fruto de opinião formada, mas não manipulada.

Jovens! Somos formadores de opinião.
Reconheçamos esta importância.


Rose David

domingo, 13 de junho de 2010

13 de junho de 2010


o tempo em que as folhas secam
o tempo em que elas caem, e vão se dispersando pelo caminho, levadas pelo vento...
o tempo em que as árvores dão frutos e suas folhas a vestem com suas ramagens cor tom de vida...
o tempo em que as folhas são verdes, outro em que as folhas amarelam, o tempo que vai dando tom a cor das folhagens...

o tempo foi o mesmo para todos nós e com o tempo o movimento natural da vida...
mas nem todos perceberam as folhas secarem, caírem e serem levadas pelo vento.
nem todos perceberam a ramagem crescer e as árvores darem os seus frutos...
o tempo foi o mesmo para todos, mas nem todos perceberam o movimento da vida.
por isso o tempo voou para muitos,
porém, para poucos o tempo foi intenso a ponto de se observar o andar da vida...
o tempo é o mesmo para todos, diferente é o olhar.


Rose David

domingo, 6 de junho de 2010

06 de junho de 2010


Pais e filhos

Uma vez na vida nós vamos admitir estar cometendo o mesmo erro que o dos nossos pais.


Mesmo que tenhamos errado da mesma maneira que eles outras vezes, vai ser no momento em que percebermos isto que ocorrerá uma importante mudança em nossas vidas.


Encontrar os erros deles acaba se tornando um meio de justificar os nossos.
E assim, as relações entre pais e filhos se oscilam. Porque talvez procuramos o entendimento quando basta a compreensão.


Sim, uma vez na vida vamos cometer o mesmo erro que o dos nossos pais, vamos nos olhar no espelho e ver a nossa semelhança com eles. E vamos descobrir que mesmo quando erramos de uma maneira que nem mesmo entendemos, não somos tão cruéis em nosso auto- julgamento. Porque conhecemos os nossos sentimentos e compreendemos que apesar das consequências de nosso erro, é extremamente relevante a nossa intenção.
Então, olharemos pra trás e vamos ver que o amor dos nossos pais muitas vezes ficou nas intenções, e que nem sempre conseguiram passar para os atos.
É difícil para um homem saber quem realmente ele é quando ainda não conseguiu olhar nos olhos dos seus pais, mesmo que na ausência este olhar seja simplesmente uma tentativa de compreensão e um julgamento menos severo.




Rose David

domingo, 30 de maio de 2010

30 de maio de 2010

Silenciando o coração para escutar a Vida...

Tenho exercitado o silêncio em meus dias...
Não pense que é fácil, fazer silêncio não é apenas calar ou retirar-se do cenário da vida.
Poderia não estar dizendo palavra alguma, porém as mesmas poderiam estar em estado de caos dentro de mim.
Tenho procurado fazer silêncio, quando sei que as minhas palavras não vão edificar, quando eu sei que elas vão ser disparadas atingindo o meu alvo e deixando-lhe feridas, mesmo que sejam frutos apenas da reação de meu coração ardido.
Então eu faço silêncio, se não sou capaz de perdoar ou compreender, virtudes que são tão divinas... humanamente me silencio e deixo que o silêncio gere a paz.
Preciso escutar a Vida, escutar a voz de Deus e calar a minha voz, uma voz que muitas vezes é tão altiva que impede que outras vozes alcancem o seu timbre.
Silenciar o coração e escutar a Vida.
As palavras devem circular pela linha tênue que liga as emoções as razões, e assim transpor como sementes que plantamos pelo caminho, palavras são meios de edificação... Deus nos deu as palavras para construir e não para destruir o que está ao nosso redor.
As palavras tem sentido, direção e poder.

Rose David

quinta-feira, 20 de maio de 2010

20 de maio de 2010


...
Quando ainda criança acreditava que eu iria mudar o mundo quando crescesse...
Hoje, já uma mulher, vejo que a maior luta é não se tornar igual ao mundo que eu tanto quis mudar.


E talvez esta resistência seja mesmo uma forma de mudança...
Uma mudança árdua, mas que vale a pena, pois as ações tem um grande poder de convencimento.
E agir de maneira contrária aos estereótipos, mas leal a nossa existência, desperta o olhar e o questionamento alheio. Questionamento que é o primeiro passo para uma possível mudança.
Agir de forma contrária, muitas vezes é solitário, mas não há solidão maior do que abandonar-se ou renegar- se em seus próprios atos.






Rose David

sábado, 15 de maio de 2010

15 de maio de 2010



Declaração de amar

Gostaria que você enxergasse através do meu olhar o amor que sinto por você.
O mesmo olhar que conhece os seus defeitos e que tem medo de se machucar, mas que ao mesmo tempo enxerga em você uma beleza nunca vista antes...
Das lágrimas que derrubei pelo chão da vida, apenas as que derramei por você regaram as sementes que cresceram e me fazem enxergar a beleza deste sentimento quando olho para trás e lembro dos dias que se passaram desde que te vi pela priveira vez.
São palavras singelas, porque o amor é tão simples.
Toda vez que eu toco o seu rosto estou declarando o meu amor...
Toda vez que lhe faço uma crítica por mais que seja difícil ou sem cabimento escutar, é porque não estou desistindo de você, estou declarando que o meu amor é verdadeiro...
Eu não escolheria você, então eu teria a escolha errada... eu viveria sem saber o que é o amor.
Aliás, viveria sem saber o que é amar, porque o amor a gente sabe de longe...
Quantas vezes eu caminhei ao lado de um amor, mas nunca lhe peguei na mão...
Quantas vezes ele passou por mim e eu não o vi...
Ou me olhou com um olhar de quem espera a vida toda para acontecer.

Mas quando eu te conheci eu olhei o amor pela primeira vez...
Lhe estendi a mão, e hoje esse amor faz parte de quem sou...
E então percebi que passei a vida toda a procurar por esse amor...

Hoje, as situações são adversas e se eu ando pelo caminho das pedras é porque não estou só. Porque onde os outros apenas veem as pedras propícias para o tropeço eu vejo as sementes aguardando os meus cuidados para que elas possam crescer...

Rose David

segunda-feira, 10 de maio de 2010

09 de maio de 2010


Redescobrindo o céu

...

Chamei aquela criança pra ver as estrelas. Apontei para o céu e disse: Olha as estrelas!
Não quis contar que quem aponta o dedo para o céu corre o risco de ter verrugas... ao contrário, por mim ficaria ali... contando todas as estrelas, uma por uma.
Afinal de contas uma criança de 2 anos não precisa de tanta informação, o seu coração está na melhor fase, aquela em que absorve e se intégra a plenitude da vida em um simples olhar.
Estava eu ali, apresentando o céu aquela criança, e ela olhava com um ar de quem sempre o conheceu... não disse que essa é a melhor fase? Aquela garotinha com seus 2 aninhos, olha para o céu e se familiariza, ela sabe ternamente que faz parte deste movimento, e que o pulsar do seu coração acompanha o ritmo de tudo que pulsa ao seu redor, ela compreende naquele olhar que fita o céu a ligação da qual faz parte.
Iniciativa minha, acreditei ser importante mostrar à garotinha as estrelas e quis que ela as observasse com o mesmo encanto com que eu as observo, também pretensão minha.
Fui eu que acabei por redescobrir as estrelas, e nestas últimas noites sentir que estão mais perto de mim.
Porque seria esta a definição...
Um adulto quando olha para o céu, admira as estrelas, mas as vê de tão longe...
Enquanto a criança, olha para o céu e sente que as estrelas estão ao seu alcance.


de Rose David para a sua afilhada Clara...

segunda-feira, 3 de maio de 2010

03 de maio de 2010



A vida não é um mar de rosas...


É preciso aprender a surfar nas ondas das dificuldades, sem que afundamos.
Há dias de sol, há dias de tempestade... tanto como dias de mar calmo quanto de mar bravo.
Mas apesar da inconstância não há nada que tire a beleza desse mar.
A alegria nos possibilita enxergar como as águas ficam cristalinas e a luz do sol ou o reflexo da lua que descansa em tuas ondas, ali acontece a conexão da vida. A cumplicidade entre o universo se manifesta aos nossos olhos.
Mas a tristeza também nos direciona a uma profunda intimidade com a nossa existência, porque nos leva a mergulhar no mar da vida e conseguimos enxergar os cantos de nós mesmos que só a tristeza é capaz de nos revelar. Assim, descobrimos a beleza contida no extremo da sensibilidade, a tristeza é o extremo da sensibilidade.
A vida não é um mar de rosas... é um mar de sensações.
E estas sensações trazem a beleza da descoberta a cada onda que vai e vem... o encontro do homem com Deus.


Rosicleide David

domingo, 25 de abril de 2010

25 de abril de 2010


Talvez, um desabafo bem em comum.

Eu sei que cometo os mesmos erros que você. E que vivo reclamando da dor que você me causa sem perceber como o seu coração está machucado. E se fico em silêncio não é por indiferença, pelo contrário, é por não saber me distanciar, é por sempre perdoar... e isto me assusta. Os meus sentimentos são delicados, mas ao mesmo tempo fortes, uma força que impede que eles se desfaleçam, mas não me impede de sentir a dor que só pode ser causada por aqueles a quem mais tenho amor.
Ouço desde pequena que "aqueles a quem mais amamos são os que mais podem nos ferir". Sim, porque a dor do amor é como a flecha no alvo certo, é certeira em nosso ponto fraco. Então, tenho que admitir, vou envelhecer ouvindo esta frase, já que uma dor de amor só poderia ser causada por quem tem acesso realmente ao nosso coração.

Rose David

sábado, 24 de abril de 2010

24 de abril de 2010

Sensibilidade

Há uma força intensa que move, que comove, correndo pelas veias da sensibilidade. Há uma beleza simples que todos alcançariam se os seus olhares não estivessem tão encascados com o verniz das aparências. Por isso, não vou escrever muito a respeito, vou procurar ler por onde os meus olhos passam e escrever através de um sorriso, de uma lágrima, de um olhar compreensível ou inconformado... Não quero ser mais um a deixar belas palavras, que com o tempo empoeiram na estante do próprio ego. Sim, sobre sensibilidade não escrevo, só sinto e transpasso os sentidos...

Sensibilidade?
Deixo as definições, e vou me sentar na roda junto aos outros.
É impossível se sensibilizar se achando melhor ou pior que o outro, estando indiferente, quando nos reconhecemos iguais, aí sim, chegamos a ser capazes de nos sensibilizar.




Rose David

24 de abril de 2010



Você existe



Penso em você
Lembro sem ter lembranças
E há dias que se passam e eu te esqueço
Nesses dias é como se eu te escondesse em algum canto de mim,
Mas sem nunca notar realmente o porquê,
Eu volto a visitá-lo.
Não vejo a sua face, mas que relevância há nisto
Diante da sensação que me causa em apenas imaginar-te?



Sinto a sua falta de maneira tão intensa
Saudade de uma presença que só foi ausência.
Alguém que nunca vi passar,
E mesmo assim, sinto falta do teu cheiro.
Alguém que nunca ouvi,
E mesmo assim, sinto falta do tom da tua voz...
Sim, aquele tom que me perturbaria e me acalmaria...
Não te procuro, não saberia onde procurar.


Você existe em algum canto de mim
O que te torna presente apesar de ausente.
Quanto mais estou próxima de mim
Mais perto de você, eu sinto que estou.
Preciso estar inteira para que ao passar por mim, você me reconheça
Apesar de não me conhecer
Então, a tua face ganhará os traços
E meu corpo encontrará a temperatura certa.


Você existe
Porque eu existo.


Rose David

segunda-feira, 19 de abril de 2010

19 de abril de 2009

" E no meio da correria, algo que me disperçou totalmente do que me tomava atenção...
foi ela que roubou o meu olhar...
e por alguns minutos não pude fazer nada à não ser admirá- la...
e chamar a atenção dos outros que estavam ao meu redor, que por sinal tiveram a mesma reação...
por alguns minutos a vida se resumiu naquela visão.
Era a lua, encantadora...
Nunca à vi tão linda!
Naquele breve momento, nos tornamos iguais...
Os nossos olhares filtravam com certeza a mesma emoção em nossos corações!
E antes que voltássemos as nossas tarefas...
Não pude deixar de exclamar: Só podia ser criação de Deus!
Os sorrisos largos eram uma corcondância com a frase dita pelo meu coração.
Um desses momentos em que tudo que se pode pensar é que vale a pena viver!



Rose David... eterna admiradora das manifestações de Deus
relato de um simples e doce momento, dezembro de 2009, no pátio da Faculdade, com uns colegas de classe. Pena não ter uma máquina nessa hora.

19 de abril de 2010

" Disseram ser possível esquecer um amor com outro, mas não disseram que o nosso olhar leva para onde vamos a imagem de quem amamos.
Disseram ser preciso virar a página se as coisas não estão indo bem, mas não disseram que o coração é otimista e insiste em acreditar que tudo vai melhorar.
Disseram que se não te correspondem à um amor é porque ele não te merece, mas não disseram que amamos não por merecimento, mas pelo fato desse alguém existir.
Disseram que no amor devemos ser felizes, mas não disseram que para ser feliz é preciso ver o outro feliz."
...
E agora? O que eu faço com o que me disseram? O que eu faço com toda essa teoria, que meu coração não coloca em prática?


Rose David

19 de abril de 2010



" Segurar as lágrimas constantemente é endurecer o coração.

Um dia, você olha pra trás e percebe... ao contrário do que pensou, tudo teria sido mais fácil se não tivesse carregado o peso das lágrimas contigo."


Rose David

19 de abril de 2010



" E se no fim desta viagem chamada "vida" eu tiver a certeza de que, embora a intenção tenha sido maior do que os êxitos, durante alguns passos eu pude ser realmente o "próximo" de alguém... então direi que "valeu a pena" todo o percurso."


Rose David

sábado, 3 de abril de 2010

03 de abril de 2010


minha alma imensa, intensa
resumiria- se somente se fosse em poesia
....
Poesia de um verso só.

sábado, 27 de março de 2010

27 de março de 2010


Palavras



Aprendi a tecer os meus dias com as palavras
Se for dia de chuva, escrevo a palavra sol no vidro embaçado
Não que pare de chover, mas há de aparecer após a tempestade um arco – íris.
Descubro as palavras que eu mais gosto
E vou construindo os meus dias com elas...
E ao descobri- las vou também descobrindo quem eu sou...
O que eu quero é nada mais que a parte integrante de mim, de minha história.
… Harmonia …
… Força …
… Ternura …
… Liberdade …
Entre outras muitas, que compõem o vocabulário dos meus dias, e que além dos seus significados...
São traduzidas por minha percepção.
“Palavras”
Elas edificam
Constroem...
E mais ternamente digo
Com elas vou tecendo os meus dias.





Rose David

domingo, 21 de março de 2010

21 de março de 2010

" Não importa se os seus desejos vão ser incompreendidos... Se eles estão em seu coração...O seu destino é realizá- los."

Rose David

21 de março de 2010

Desejo que o seu coração abra- se, a ponto em que seja capaz de aceitar que as pessoas não precisam pensar como você... e mesmo assim, com o olhar sábio da compreensão, continuar sendo agradável.


Rose David

sábado, 20 de março de 2010

20 de março de 2010

Descrevendo sensações...

de um sábado à noite... há um tempo atrás...
uma troca de olhares...



Olhar


Eu li o trecho de um livro...
Neste trecho falava- se da sensação do “olhar nos olhos”, fitar delicadamente o olhar do outro, descansar ali ,em um breve momento, a nossa alma... e ao mesmo tempo em que era possível para aquele personagem se enxergar no olhar do outro, também era possível enxergar o que havia além daquele olhar que teria prendido a sua atenção.
O verbo olhar se confundia com o verbo encontrar...
Eu olhei... encontrei.
Ele olhou... encontrou.
Nos olhamos... nos encontramos.
Os personagens ao redor ficavam distantes à medida em que os dois se olhavam... se encontravam. E nesse momento o autor nos relatava que o tempo, embora tenha sido breve, pareceu estender- se a ponto de ter sido suficiente para ser registrado com toda doçura na memória. Doçura sim, porque se tivesse sabor essa leitura seria o de um doce, daqueles que toda criança quer e que todo adulto gosta porque lhe remete as lembranças mais afetuosas de sua vida.
Eu li o trecho de um livro...
Uns dos meus textos preferidos...
Naquele dia em que olhei nos teus olhos e pareci adentrar nas páginas de um livro, foi tamanho encanto, que caberia este texto a tal sensação.




Rose David
descrito em 20 de março de 2010
Para o dono daquele olhar!

terça-feira, 9 de março de 2010

09 de Março de 2010


O que quero ser quando eu crescer?

Por que temos que ter essa resposta na ponta da língua?
Se os meus pais tivessem me perguntado isto hoje, eu responderia com outra pergunta... E quando eu vou crescer?
Aliás, eu iria mais longe, eu questionaria... E quando vou saber que eu cresci?
E não importava a resposta, desde que houvesse uma. O que importava mesmo era a satisfação de ouvir uma resposta.
O engraçado é que eu, aos 25 anos, ainda não sei por completo o quero ser, "ainda não cresci". Mas sei o que não quero ser, embora nunca tenham me perguntado isto.
E é preciso crescer para ser?
Vejo aquela criança ali, inteira na presença de Deus sem nenhuma filosofia, na íntegra com a vida.
E eu, aos 25 anos, ainda não cresci. Embora "nunca deixei de ser".


Rose David

sexta-feira, 5 de março de 2010

05 de Março de 2010

Amores não morrem...

São as partes de nosso coração que encontramos pelo caminho.
Amor é vida...
Em constante movimento, transformação, pulsação.
Amores nos eternizam
Amores nos salvam...
O amor é o olhar que ainda consegue enxergar as cores do outro mesmo diante à uma mágoa acinzentada...
Amores brincam
Amores choram
Amores dizem adeus
Amores se reencontram
Amores tomam direções opostas, transformam- se...
O amor sempre te encontra
E te resgata... naquele sorriso
Naquela descoberta de algo em você que começou a fazer falta.
Amores não morrem
Amores ( nos) transformam ( se)...


Rose David


sábado, 20 de fevereiro de 2010

20 de Fevereiro de 2010


" Não confunda mudanças com perdas.
Por vezes, na vida será preciso mudar para ganhar."


Rose David

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

11 de Fevereiro de 2010


O Amor tornou- me Rosa...

Me deu a coragem de sonhar...
Por diversos meios, por lágrimas ou sorrisos... a finalidade do amor,
Se é que é assim que posso dizer, já que o Amor é o início, meio e fim ( fim?)...
A função do Amor é de nos transformar por incrível que pareça naquilo que somos,
Mostrar- nos o Caminho, a Verdade, a Vida...
Eu Sou quando Sou Amor.


Rose David

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

08 de Fevereiro de 2010

A Rosa que brotou do amor que nasceu



Um belo dia uma Rosa brotou de um amor que nasceu...
E cada pétala que ganhava vida trazia em si um significado... a Rosa era toda emoção.
Ali estavam a pétala da saudade, a da ternura, a do respeito, a da amizade... a pétala da verdade, da lealdade, dos carinhos, dos desejos, dos apegos... as pétalas se abraçavam e pareciam multiplicar- se, a Rosa exalava seu amor à longa distância. Entre os seus espinhos percorria a paixão, e se alguém se espetasse ao tocá- los sofreria apenas a dor do amor.
A linda Rosa que brotou do amor que nasceu, despertou no mesmo ao olhar para ela o desejo da posse. E o desejo descontentou aquele amor, já não bastava cuidar da Rosa e vê- la cada dia mais bela, não bastava tocá- la, era preciso tê- la em suas mãos e ao sentir isto, sentiu também uma pontada de ciúmes... e o ciúmes lhe despertou o egoísmo... e o egoísmo lhe dizia:
- Tira a Rosa de lá, não dividas o contemplar da beleza que foi desperta pelo teu amor!
O amor, sem pensar, não quis ao menos perguntar o que a Rosa queria. E assim, apenas disse:
- A Rosa é minha!
O amor ficou cego, não viu que a Rosa fazia parte da roseira e que se a retirasse, estaria lhe tirando a vida.
Enfim, o amor arrancou a Rosa da roseira, e durante algumas horas sentiu- se feliz ao tê- la em suas mãos. Mas, as horas passaram e com elas as pétalas murcharam, e como que se a Rosa estivesse fraca, as pétalas já não se abraçavam, elas se desprendiam e caíam ao chão.
O amor ficou triste ao notar o mal que causara a Rosa, ele a desprendeu de sua natureza. Entendeu ao olhar a Rosa morta que ela seria sempre sua, ali naquela roseira, sendo inteira com a sua liberdade de ser simplesmente a Rosa.
O amor passou a ser lembranças... de noite era lágrimas... de dia era esperança.
Até que uma noite foi dormir com o peso dos anos que se passaram. Mas, acordou leve, acordou recém – nascido, e ao renascer outra Rosa também brotou... e o amor enterneceu- se ao olhar para ela, desta vez desperto pelo desejo de vê- la feliz...



Rosicleide David
08 de Fevereiro de 2010

... uma doce inspiração.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

25 de Janeiro de 2010





" Há um certo encanto em comum nas relações...
Aquele olhar, que com o tempo nos desvenda os pensamentos
Aquele abraço, que nos dá mais força do que qualquer conselho
O falar e ouvir correções que nem sempre são desejadas, mas que carregam na sinceridade a ternura...
Há o encanto do encontro em certas relações
Onde, ao estar com o outro nos encontramos."


Rose David

25 de Janeiro de 2010




" Se as palavras tem poder...
  Logo, alguns pensamentos não precisam ser pronunciados."




Rose David

sábado, 23 de janeiro de 2010

23 de Janeiro de 2010


O ponto final deve ser mesmo a decisão mais difícil nos parágrafos da nossa vida. Porque deve ser pensado, usá- lo antes da hora pode nos causar uma sensação de insatisfação ao perceber que mais deveria ser escrito; porém, insistir em adiá- lo quando não há mais o que se escrever é submeter- se à uma tortura a qual você mesmo pode se livrar.

Mas será o ponto final o fim?
Vejo nesta iniciativa a oportunidade de se desprender do que ficou pra trás e dar- se o direito de começar um outro parágrafo, com possibilidades de ser melhor escrito.


Rose David

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

22 de Janeiro de 2010





Rompimentos




Para o amor não existe ganhar ou perder
O momento do primeiro encontro é tão importante quanto o momento da despedida
Ambos carregam em si a beleza que pode ser notada pelos olhos da alma.
E somente esse amor é capaz de reconhecer quando os caminhos devem seguir rumos diferentes,
Somente este amor é capaz de libertar o outro, apesar dos desejos, apesar dos apegos
Dando- lhe o direito de seguir em paz, em rumo à escrita de sua história
E permitindo- se seguir também liberto...
Para o amor o rompimento só é necessário quando o coração nos aponta ter colocado em uma gaiola o outro,
A única culpa do amor é a de não deixar o outro voar...
É preciso alçar voo juntos, quando isto não é mais possível
Chega a hora de libertar.




Rose David
22 de Janeiro de 2010

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

21 de Janeiro de 2010




Eu tenho mesmo disto...
Daquele sorriso que me aponta, sem que eu o espere
Daquela sensação de amor, amor por tudo, assim de repente
Preenchendo- me...
E me fazendo notar a luz das pessoas que estão ao meu redor.
Eu tenho mesmo disto...
Ternura.




Rose David

21 de Janeiro de 2010



"Aquela garotinha chamada esperança, piscou- me os olhos com tamanha graciosidade, que só me restou seguir os seus passos."


Rose David

domingo, 17 de janeiro de 2010

17 de Janeiro de 2010


" Olhamos o outro com as lentes de nossa percepção, e quando julgamos os seus atos nem sempre lembramos que há também um outro mundo por trás dos olhos daquele à quem julgamos."



Rose David

sábado, 16 de janeiro de 2010

16 de Janeiro de 2010


" Eu desenho com a ponta dos dedos o rosto daquele que eu amo. A tinta é o meu carinho que vai sendo derramado por onde os dedos passam delicadamente, contornando todas as suas linhas e o quadro é a minha memória, porque quando não está por perto, eu busco no coração aquela doce pintura que outrora eu fiz. É uma maneira de levar aquele que eu amo para onde quer que eu vá."




Rose David

16 de Janeiro de 2010


" Que culpa eu tenho se a minha alma não cabe aqui dentro de mim?
Ela está a extrapolar por todos os cantos...
Eu deixo um pouco dela, porque me esqueço de recolhê- la por inteira quando eu vou partir...
E mesmo assim ela cresce, cresce...
Que culpa eu tenho?"


Rose David

16 de janeiro de 2010



Desistir?
Não.
Apenas respirar, respirar com tanta vontade...
Até que tudo faça parte naturalmente da minha vida
Sem que eu precise me rasgar por dentro por não entender
"Que acontece".


Rose David

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

15 de janeiro de 2010


Eu vejo a beleza e o encanto do voo das borboletas e fico a pensar...
Qual o tamanho da alma de uma borboleta?
É um ser tão pequeno, mas que passa pelo mundo de uma forma que não pode ser despercebida. Um ser pequenino, frágil... que para muitos representa a palavra liberdade.
Liberdade! Esta sensação pela qual o ser humano anseia o tempo todo, tão complexa, se levado em conta que para cada um pode haver uma percepção distinta da onde ela está, de seu valor... representada ali, naquela criaturinha que ganha asas, alça voos e pousa nas rosas, simplesmente cumprindo o ciclo de sua vida...
Borboletas, simbolo da liberdade! Que por viverem naturalmente o ciclo de suas vidas, atraem o olhar dos homens, as assemelhando à imagem da "tal sensação"!

Rose David

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

11 de Janeiro de 2010



O nosso "coração" é como um lar. Por isso é bom fazer uma faxina de vez em quando, daquelas em que tiramos tudo o que já não tem mais a ver com o momento em que vivemos, são aqueles ressentimentos que deixam poeira pelos móveis. É bom ter fotos de pessoas queridas, mesmo que já não entrem mais em nosso lar, sinal de que um dia encheram a casa de alegria. Abrir as janelas e as portas, para que junto com a luz do sol entrem as pessoas que irão iluminar todos os cantos do então "doce lar".




Rose David

10 de Janeiro de 2010



" Tem horas que eu penso sem querer, penso em você e logo me vem a vontade de não pensar e talvez assim não sentir saudade. Porém, quando o pensamento está a fugir, meu coração o resgata rapidamente e penso tanto e o desejo tanto com o coração, que você aparece e eu o amo com intensa vontade para matar a saudade, mas ao mesmo tempo com a impressão de que esteve o tempo todo aqui."


Rose David

10 de Janeiro de 2010



" A minha esperança é uma menina que olha o mundo sempre com terna pureza e dali enxerga os bons motivos para continuar!"


Rose David

10 de Janeiro de 2010



" O amor nos faz ver sempre o que há de melhor nas pessoas, e por isso muitas vezes acreditamos mais em seu potencial do que elas mesmas...

Quanto de mim eu descobri através do olhos dos que me amam!"

Rose David

10 de Janeiro de 2010



"Estou aprendendo a amar com as crianças, que dizem eu te amo através dos gestos... do olhar, do sorriso, da confiança tão límpida.. que ainda não conhecem o orgulho, os julgamentos, as cobranças... apenas amam e por isso possuem a verdade que procuramos, sem precisar compreendê- la, apenas vivê- la."



Rose David